A importância da alimentação saudável

A importância da alimentação saudável

 

A alimentação saudável é super importante na infância e ela deve ser prioridade para as mamães, pois ela inicia desde a gestação, passando pela amamentação e depois no preparo e cuidado das comidinhas quando a introdução alimentar for iniciada.

A boa alimentação começa com a amamentação, que deve ser exclusiva até os 6 meses de idade, seguindo até os 2 anos de idade (ou mais) e deve ser em livre demanda. No leite da mãe tem tudo que o bebê precisa para inciar sua vida de maneira saudável, tanto fisiológicamente como emocionalmente. O leite materno fornece todas as necessidades nutricionais que precisam e protege o neném da maioria das doenças.

Após os 6 meses se dá inicio a introdução alimentar e ela é feita de forma lenta e gradual, para o bebê ir acostumando com a novidade de sabores, texturas… Nesta fase é muito importante a dedicação e a paciência da mamãe no preparo, na oferta e na variedade dos alimentos. Muitas vezes os bebês parecem não gostar de um determinado alimento, mas pode ser apenas um estranhamento inicial. Também é necessário que a alimentação
seja variada, com alimentos frescos e da época. O uso de alimentos industrializados não é recomendado para bebês, bem como o açúcar branco. O uso do sal deve ser bem reduzido nas preparações.

O paladar do bebê é formado todo o dia um pouquinho, com cada sabor novo e forma de preparo, por isso o ideal é uma comidinha fresca e feita na hora todos os dias. Claro que sabemos que no mundo real nem sempre isso é possível, então a dica é congelar a comidinha feita por você para “quebrar o galho” na correria do dia a dia, porém ao invés de congelar a papa já pronta, congele individualmente cada alimento cozido (nunca esqueça de etiquetar com data e nome). Desta maneira você pode montar novas papinhas a cada dia, sem cair na mesmice e variando os nutrientes sempre.

Ou até mesmo não misturar a papa e deixar que seu bebê coma cada alimento separado experimentando e conhecendo os sabores reais. O mesmo pode ser feito com alimentos em pedaço sendo o “prato” do dia montado na hora. Desta maneira a mamãe e o papai não correm o risco de ter que apelar para alimentos industrializados prontos.

A gente nunca pode esquecer que os filhos se espelham nos pais, portanto cuidem
da sua alimentação também. Procurem entrar num estilo de vida saudável, todos os membros da família, para que nas refeições principais todos sentem juntos e comam juntos, incluindo o bebê, a mesma comida. Ter um filho ajuda até nisso, na educação alimentar de todos! A alimentação saudável dos filhos é de responsabilidade dos pais, por isso nada de preguiça na hora de cozinhar. A boa alimentação na infância é a melhor prevenção para doenças na vida adulta e também no combate da obesidade.

Lembrando sempre que preparar os alimentos e cozinhar são maneiras de amar também.
Cuidar do que seus bebês comem é uma linda prova de amor. Eu estou louca para amar o
Felipinho desta maneira também: cozinhando pra ele e preparando seus lanches saudáveis,
nutritivos e saborosos.

Beijo, Cá.

cassandra
Cassandra Canto, Culinarista Funcional

@casaudavel

  • Viviane Oliveira Tessaro

    E as mães que não produzem leite materno??? E os bebes alimentados com fórmula??? Porque isso nunca é falado?
    Bebe que toma fórmula é tão saudável quanto um amamentado no peito e também tem alimentação exclusiva até os 6 meses!
    Essas mães e esses bebes são sempre excluídos desse tipo de matéria, porque?

    • Maezinha Vai Com as Outras

      Boa colocação Viviane! Está aí um tema que vale um post só dele. Acredito (aí minha opinião sem nenhum embasamento profissional) que eles não são mencionados nas matérias porque o “padrão” considerado “saudável” seria do leite materno. A fórmula acaba entrando como complemento dele. Mas sim, existem muitos casos em que as mamães não conseguem amamentar e ele acaba se tornando o principal “alimento”. Theo mamou no peito até os 7 meses, mas meu leite acabou secando quando voltei a trabalhar. Acho que foi tudo de fundo emocional. Até que ele começou com frutas e papinhas ficou na fórmula. E é um “parrudão” de quase 11 kg. hehehehe

      Vou falar com a Cassandra para ela explicar isso pra gente 🙂

      • Viviane Oliveira Tessaro
        • Maezinha Vai Com as Outras

          Com certeza! Pode deixar que vou ver isso com carinho 🙂 beijossss