As principais mudanças nas mamães e bebês em cada trimestre da gravidez

As principais mudanças nas mamães e bebês em cada trimestre da gravidez

 

Saber cada passo do desenvolvimento do feto não é só motivo de curiosidade para as grávidas como também uma necessidade. É neste acompanhamento que a gestante poderá identificar e monitorar problemas como anemia, diabetes, hipertensão, além de doenças sexualmente transmissíveis, como HIV e sífilis. Segundo o ginecologista responsável pela reprodução humana da Dr. Renato de Oliveira qualquer sintoma ou sensação diferente devem ser comunicados imediatamente ao médico.

— Os nove meses de gravidez podem ser divididos em três trimestres. E cada uma dessas fases é marcada por algo importante no desenvolvimento do feto e constantes alterações na mulher — informa.

Confira as principais alterações de cada trimestre, tanto para a mamãe quanto para o bebê

Segundo trimestre (semana 14 a 27)

Bebê

O bebê continua seu desenvolvimento a todo vapor. A partir da décima sexta semana, já é possível saber o sexo do bebê. Os órgãos continuam sendo ajustados e detalhes como cílios, sobrancelhas, impressões digitais e fios de cabelo vão aparecendo.

Mãe

Conforme o terceiro trimestre vai se aproximando, é normal sentir dor nas costas e desconforto nos músculos e ossos do quadril pela própria movimentação fetal e peso do bebê, além da mudança do eixo de equilíbrio materno.

Terceiro trimestre (semana 28 a 40)

Bebê

Na reta final, os olhos e ouvidos do bebê já funcionam bem, conseguindo perceber a luminosidade e sons a sua volta. Geralmente, na trigésima semana, o feto se apresenta em posição apropriada para o nascimento.

Mãe

Com o fim da gravidez, a ansiedade toma conta da mulher. Por conta do peso da barriga, as futuras mamães tem dificuldade para dormir e se movimentar. Dores nas pernas e nas costas também são mais intensas. A ansiedade também pode ser maior.

:: Dicas do ginecologista

Atividade física: Para as mulheres que já praticavam alguma atividade física, é importante mantê-la. Porém, sempre com a supervisão de um profissional, que poderá dizer a necessidade de se diminuir o ritmo uma vez que o excesso pode precipitar ao trabalho de parto prematuro. A hidroginástica e a caminhada são boas alternativas para as mulheres que não realizavam exercícios antes da gestação.

Posição para dormir: O mais indicado é que a grávida durma virada para o lado esquerdo. Esta posição ajuda na circulação do sangue.  Porém, vale lembrar que ela não está rigorosamente restrita a este lado.

Pernas e pés inchados: O inchaço durante a gravidez, principalmente nos membros inferiores, é muito comum. Para melhorar com esse incomodo, a gestante deve, sempre que possível, descansar e manter as pernas em posição pouco elevada em relação ao tórax. Além disso, recomenda-se diminuir a ingestão a de sal, aumentar o consumo de água e, para algumas pacientes, recomenda-se o uso de meias elásticas de média compressão.

Via Revista Donna