Guia tira-dúvidas sobre como manter a saúde dos fios durante a gestação

Guia tira-dúvidas sobre como manter a saúde dos fios durante a gestação

 

As alterações hormonais características do período de gestação afetam cada mulher de forma diferente. Com relação aos cabelos, muitas reclamam de oleosidade e ressecamento enquanto outras observam brilho e maciez incomuns.

– As glândulas sebáceas possuem receptores para determinados hormônios e como eles estão aumentados durante a gravidez, acaba ocorrendo um estímulo maior provocando mais gordura na pele e cabelos. Não há como prever, pois assim como ocorre com a pele, algumas mulheres, por exemplo, começam a ter ou pioram a acne durante a gestação e outras ficam com a pele linda, melhor do que antes da gravidez. Essas diferenças ocorrem pois os receptores hormonais na pele e cabelos são diferentes em cada pessoa – explica a dermatologista Fernanda Casagrande, membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia e da Academia Americana de Dermatologia.

Motivos de dúvidas frequentes, os tópicos ao lado são comentados pela dermatologista. Mas é sempre bom lembrar: consulte sua médica antes de tomar qualquer decisão durante a gestação.

Falta de brilho
Além das alterações de hormônios, ocorrem deficiências de nutrientes em algumas grávidas. Por outro lado, quando a produção de óleo pelo couro cabeludo é muito intensa, os fios ficam pesados e sem brilho. É comum a queixa de pontas secas e couro cabeludo oleoso, mas isso é facilmente resolvido com xampus apropriados.

Nutrientes
O aumento metabólico geral da mulher gestante pode causar queda nas suas reservas de vitaminas. Por isto, as grávidas desenvolvem anemias com maior facilidade. Essas carências podem gerar queda, sendo essa mais comum três meses após o parto.

Tingimento
Há opiniões muito divergentes em relação ao assunto. Eu libero para a química com algumas marcas sem amônia, depois do primeiro trimestre. Não costumo indicar a henna, pois além de danificar muito o fio, existem poucas marcas consagradas que trabalham com este tipo de produto. Além de ser grande causadora de alergias.

Secador
Pode fazer escova, sem problemas. Hoje temos muitas opções de protetores térmicos e os cabelereiros estão cada vez mais conscientes em relação a isto. Existem produtos que são ativados pelo calor do secador que ajudam.

Alisamento e progressiva
Alisamentos estão proibidos durante toda gestação e amamentação. O formol das escovas é tóxico até para não-grávidas. Nas grávidas, não podemos arriscar nada. Para quem quer domar os volumes sem correr riscos pode usar leave-in, escova comum e óleos. Existem linhas específicas para diminuir o volume dos fios. Gosto muito do RD da NPPE.

Luzes
Não há problema depois do primeiro trimestre e com produtos sem amônia. Indico o Plantinum da L’oréal.

Hidratação
Para fazer em casa, gosto muito das máscaras da Kérastase, especialmente a linha Age Recharge. São práticas, pois podem ser usadas como condicionador e, deixando atuar por 15-20 minutos, tem efeito de máscara. No salão, as hidratações com queratina estão liberadas, pois não causam danos à saúde e selam a cutícula.

Queda dos fios
Aqueles fios que deixaram de ciclar, tendem a cair depois do parto. É uma queda hormonal abrupta. Além disso, a amamentação suga nutrientes da mãe. O próprio parto é um momento de estresse físico para a mãe, sem falar na chegada do novo ser, que exige uma demanda emocional enorme.

Fonte: Dermatologista Fernanda Casagrande via revista Donna