Por que a mulher engorda na gravidez?

Por que a mulher engorda na gravidez?

 

A gestação é um período na vida da mulher em que o ganho de peso é considerado inevitável, já que vários fatores metabólicos influenciam na capacidade do corpo feminino em desenvolver e receber no seu interior um novo organismo. Apesar dessa situação parecer, para a grande maioria das mulheres, um aval para se alimentar de maneira mais relaxada e se preocupando menos com as calorias totais, é preciso compreender que, assim como em qualquer outro momento da vida, é preciso ficar atenta à qualidade do que você está comendo.

Aumento do gasto calórico diário
O principal motivo para o aumento do peso das gestantes durante a gravidez é o aumento natural das suas necessidades calóricas diárias. O desenvolvimento de um feto saudável é uma situação metabólica que exige uma quantidade maior de energia para o organismo, fazendo com que o corpo demande uma ingestão maior de calorias do que o naturalmente consumido pela mulher.
A Organização Mundial de Saúde estima que esse aumento da necessidade calórica do organismo feminino varie entre 300 a 850kcal por dia — valor que muda bastante com o perfil de cada gestante. Por causa dessa necessidade calórica elevada, não é recomendado, para a maioria das mulheres, a realização de dietas restritivas nesse período, já que é natural que o apetite sofra um leve aumento nessa etapa da vida.

Alterações corporais que podem influenciar no ganho de peso

O peso corporal total da futura mamãe registra, a partir do primeiro mês de gravidez, não somente o seu peso natural, como também de outros aspectos que podem alterar o peso final de uma mulher ao subir na balança.
Acredita-se que, ao final dos nove meses, essas mudanças físicas no corpo da mãe e do desenvolvimento do bebê resulte em um aumento de aproximadamente 12,5kg no peso corporal, quando comparado com o registrado no início da gestação. Essa estimativa de 12,5kg foi estabelecida avaliando os seguintes aspectos:

  • Peso total do bebê: O peso esperado para uma criança saudável pode chegar a até 3,5kg;
  • Massa muscular do útero: Pode aumentar em até 900g;
  • Seios: Podem crescer 400g a mais;
  • Placenta: Ao final da gestação ela pode pesar até 700g;
  • Aumento do volume de sangue: Quase 1,2kg extras de sangue circulam no organismo da futura mamãe;
  • Ganho de massa gordurosa: A massa de gordura também aumenta em 4kg para valorizar a produção de leite e hormônios;
  • Líquido amniótico: O líquido que envolve o bebê dentro do útero da mulher pode pesar em média 2kg.

Qualquer ganho de peso observado além desses 12,5kg — que são naturais e esperados na grande maioria das mulheres que engravidam — é considerado por muitos profissionais da saúde como perigoso para o bem-estar da futura mamãe e seu bebê. Por esse motivo, da mesma maneira que você vai sentir um apetite e uma necessidade maior de se alimentar, é preciso ficar atenta para não exagerar no consumo de alimentos altamente calóricos ou ricos em nutrientes que podem ser prejudicais para o seu ganho de peso saudável.

O que fazer para garantir um ganho de peso saudável

As mulheres que iniciam a gestação com um quadro de obesidade ou sobrepeso também precisam ficar atentas à saúde, já que elas já apresentam um risco um pouco maior de desenvolver complicações durante a gravidez. Por esse motivo, ao contrário das mulheres que apresentam peso normal antes da gestação, é recomendado que elas tenham o ganho de peso natural acompanhado de perto por um médico.

Para garantir esse ganho de peso saudável é preciso mudar alguns hábitos alimentares para valorizar a nutrição correta do feto e também a saúde do organismo materno. Além de seguir as orientações tradicionais de uma alimentação equilibrada — como aumentar o consumo de vegetais, frutas e controlar a ingestão de carboidratos e gorduras — outros cuidados são indispensáveis para a alimentação da gestante nessa fase da vida:

  • Ficar atenta ao consumo de cálcio, adicionando produtos lácteos e vegetais verde escuros na sua alimentação;
  • Dar preferência às fontes de gordura não-saturadas como as encontradas nas oleaginosas e nos óleos vegetais;
  • Valorizar o consumo de proteínas magras (como encontradas na carne de frango, nas carnes magras de boi e no peixe) e das fontes de ferro;
  • Não deixar de consumir carboidratos com moderação para não prejudicar o fornecimento de energia para o organismo;
  • Evitar o consumo de alimentos industrializados ricos em sódio ou açúcar.

**Para elaborar um cardápio completo e que esteja de acordo com suas necessidades nutricionais, não deixe de contar com a ajuda de um nutricionista!

Recuperação do peso após a gestação
Para as mulheres que estão preocupadas com o controle do peso no período pós-gestacional, a boa notícia é que os quilos extras adquiridos durante essa etapa da vida são naturalmente perdidos com a amamentação — especialmente se a mulher não ultrapassou o aumento de peso recomendados pela OMS.
Quando a futura mamãe faz boas escolhas alimentares e mantém o seu hábito de consumo equilibrado, ela terá ainda mais facilidade em recuperar seu peso ideal após o nascimento do bebê.

fonte: Nutrimãe