Pós-férias: confira dicas para retomar a rotina com as crianças sem estresse

Pós-férias: confira dicas para retomar a rotina com as crianças sem estresse

Mesmo que algumas atividades já tenham se iniciado, muitas famílias acabam voltando a realidade somente após o Carnaval. E é normal que as crianças tenham dificuldades em retomar a rotina depois de um longo período de férias. Confira algumas dicas da psicóloga Renata Reston para ajudar os pequenos a retornar às tarefas do dia a dia com muita energia.

Diálogo

Vá conversando com seu filho sobre o retorno às atividades, à escola, lembrando dos pontos importantes e positivos destes momentos, como rever os amigos, colegas e professores. Histórias de imaginação também podem ser uma boa estratégia. Invente um personagem com um nome semelhante ao do seu filho ou que comece com a mesma letra do nome. As crianças gostam e costumam achar a troca bem divertida.

Envolva a criança

Envolva a criança no processo da rotina, pedindo ajuda para organizar os materiais escolares ou preparar seu lanche, por exemplo.

Enfatize o lado bom

Os pais ou familiares devem demonstrar segurança na hora de deixar a criança na escola, enfatizando a importância deste momento. Muitas escolas nesses primeiros dias acabam optando por períodos de adaptação, ou seja, períodos de permanência na escola mais curtos para a criança ir se adaptando novamente ao processo.

Incentive

Incentive-o a contar histórias das férias, de onde foram, como se sentiu, o que viu e aprendeu aos coleguinhas. Isso faz com que eles se sintam interessados em retomar as atividades.

Cronograma visual

Crie cronogramas de atividades ou um calendário lúdico semanal com imagens para indicar as atividades (escola, futebol,balé, inglês…) onde a criança possa manusear, assim servirá de lembrete visual das atividades do dia.

Não ceda

Por fim, não ceda às chantagens ou birras negociando a permanência deles nas atividades por algo que queiram muito, como brinquedos ou doces. Aos poucos, eles vão retomando à rotina e tudo volta ao normal. Se a criança parece ter muita dificuldade, demonstre que está à disposição, mas sem forçar a conversa. Um beijo ou um abraço são atitudes simples para demonstrar que você está ali.