Quando meu bebê vai começar a falar?

Quando meu bebê vai começar a falar?

SeloDonna

Além da amamentação, da cólica e dos cuidados com os bebês, a fala também preocupa muitas mães que ficam ansiosas por ouvir o primeiro “mamãe”. É sabido que cada bebê tem seu tempo e que deve ser respeitado. Mas afinal, quando meu bebê vai começar a falar? Em média, as crianças começam a balbuciar com 1 ano. Os primeiros sons estão mais para sílabas do que palavras, como “mã” e “pa”. Para que a criança continue desenvolvendo suas habilidades com a fala, é preciso estimulá-la. Confira as dicas da fonoaudióloga Fernanda Tessaro para que você respeite o desenvolvimento do seu filho, mas também possa ficar atento aos sinais de que algo possa estar errado.

Os 3 primeiros anos da criança são de extrema importância principalmente porque nesta fase de maturação neuronal. Desde a gestação os bebês já estão expostos a estímulos e ao nascimento, expressam-se por meio do choro como primeira forma de resposta expressiva ao mundo. Com o passar das semanas esse choro ganha características de diferenciação, envolvendo os sentidos, o desenvolvimento dos músculos (principalmente da boca e da língua), as experiências da criança com as pessoas e as diversas sensações que a fazem comunicar com uso do balbucio (sons que a criança imita e ouve ), ela usa as mãos para explorar o seu mundo (tocar, pegar, alcançar, levar a boca), que a ajudam na descoberta das coisas.

É na interação do bebê com a mãe, no ambiente familiar e escolar e por meio das funções comunicativas expressadas durante as atividades diárias (como nos momentos de amamentação, alimentação, na hora do banho, nas brincadeiras), que a criança vai entendendo o que lhe é dito para que possa reproduzir o que deseja através do uso da fala.

Dicas para estimular a linguagem e a fala:

  • Presenteie seu filho com o ato de brincar: sentando no chão, modificando a voz, fazendo personagens, inventando brincadeiras, trocando de papéis, pulando, dançando… ensinando-as a respeitar as regras na relação com o próximo. Nada pode substituir a brincadeira entre pais e filhos!!! .
  • Conviver com outras crianças é importante, ela observa e repete a ação do outro. É nesta troca dialógica que a criança sente-se mais confiante e segura para interagir com os demais.
  • A atenção e o carinho que você dá para o seu filho podem fazer a diferença no desenvolvimento de sua fala.
  • A alimentação e os utensílios utilizados tem papel fundamental no desenvolvimento da fala, pois utilizamos os mesmos orçãos para comer e falar. Estimule seu filho a morder e mastigar os alimentos, o uso de copos com tampa de bico e o uso de canudo.
  • Converse com a criança em momentos de maior atenção, usando palavras e frases simples e diretas. Face a face
  • Não pergunte demais nem crie situações de muita pressão.
    Brinque com a criança em frente ao espelho para que ela possa olhar sua imagem e objetos novos, além de levá-la a diferentes locais da casa, diferentes passeios e ambientes.
  • Pronuncie corretamente as palavras, de forma motivadora, sem usar o diminutivo ou infantilizar a fala;
  • Dê tempo para que a criança possa responder e espere que conclua o que estava dizendo antes de mudar de assunto. Interrompê-las pode dificultar a comunicação.
  • Devolva sempre as palavras ditas pela criança de maneira correta para que ela possa repetir o estímulo. Lembre-se, você é o espelho!
  • A criança precisa ter a necessidade de falar– não atenda a toda e qualquer tentativa de comunicar-se através de gestos e balbucios mesmo que vocês entenda o que ela esta querendo expressar.
  • Verifique o nível de linguagem que a criança consiga compreender. Procure selecionar assuntos que a criança conhece e vivencia.
  • Aproveite as situações do dia a dia para estimular a criança, dizendo o nome as partes do corpo, de alimentos, dos objetos, diferentes formas, cores e funções.
  • Sorrir, mandar beijo, dar tchau, chamar pelo nome e nomear tudo que estiver no seu campo de visão. Deixe ao alcance de sua mão para que ela possa apalpar, segurar, e apertar: mordedores, chocalhos, bonecos, bichos macios, desenvolvendo estímulos táteis.
  • A música é excelente para estimular o ritmo da expressão verbal. Cante para seu filho (a) e o estimule a cantar com você, completando palavras da canção. Ex: O sapo não lava o pé.. pé…
  • Use sinos, chocalhos, instrumentos musicais, brinquedos sonoro para que ela perceba os diferentes sons, estimule que ela procure o som ou a voz fora do seu campo visual.
  • Conte a mesma história várias vezes, de maneira interpretada, estimule o reconto, o interesse na leitura, sua criatividade e memória, habilidades importantes no processo comunicativo;
  • Fique atento! Não é normal a criança não falar com 3 ou 4 anos de idade, é necessário que a familia tenha apoio e orientação pois, dizer que a criança é nova e que falará ao seu tempo não é CORRETO.
    O Fonoaudiólogo é o profissional indicado e capacitado indicado para realizar esta avaliação.