“Somos a geração que se preocupa com a quantidade de sódio na água mineral”

“Somos a geração que se preocupa com a quantidade de sódio na água mineral”

 

Tive a oportunidade de trabalhar com o Piangers nos meus primeiros anos como jornalista do Kzuka, do Grupo RBS. Quem vê o seu jeito debochado e “sacana” de ser nem imagina que por trás daquela barba ruiva existe um pai babão e mega preocupado com suas duas filhas, Anita e Aurora. Em sua coluna mensal no caderno Vida do Jornal Zero Hora ele fala sobre essa paixão e em um dos textos, sobre a eterna busca por sermos pais melhores sempre.
Me identifiquei e divido com vocês:

__________________________________________________________________________

Por Marcos Piangers
*comunicador Rádio Atlântida

Somos uma geração de pais com culpa. Não sabemos nunca se estamos cuidando dos nossos filhos direito. Não sabemos se estamos alimentando nossos filhos direito, educando nossos filhos direito, repreendendo as pirraças direito, abraçando e beijando direito, dormindo na hora certa direito, larga esse iPad direito, pelo amor de Deus vem almoçar já pedi cinco vezes direito. Somos uma geração de pais que sempre acha que está fazendo tudo errado. A escola talvez não seja a certa, a comida está muito industrializada, acho que o videogame deixa ele muito agitado. Alguma coisa está sempre errada e a culpa é nossa. Os piores pais do mundo.

Digam o que quiserem, acredito que somos os melhores pais do mundo. Minha mãe me entupia de bolacha e ki-suco na década de 80 e eu estou aqui, nem tão firme e nem tão forte, mas vivo. Percebam: somos a geração que frequenta feiras orgânicas! Que sabe pra que serve a quinua e a semente de girassol (eu não sei!). Somos a geração pró-educação construtivista, a geração que mais disse eu te amo para seus filhos. Por Deus! Somos a geração que se preocupa com a quantidade de sódio na água mineral! Nossos pais nos davam água de torneira pra beber! Somos os melhores pais da história, com certeza!

E sobre este advento maravilhoso da tecnologia, o que dizer? Este aparelho celular que nos permite tirar centenas de fotos das crianças fazendo as atividades mais triviais? Este telefone magnífico que nos permite responder e-mails de casa, enquanto abraçamos nossos filhos no sofá? Há quem diga que a tecnologia nos distancia dos filhos, pois nossos pais ficavam até tarde no escritório e quando chegavam estávamos dormindo. De vez em quando nossos pais viajavam em férias e não nos levavam (hoje em dia esses pais seriam detonados no Facebook, compartilhe essa atrocidade você também). Me perdoem vocês, mas isso, sim, eram pais distantes.

E não se esqueçam que, quando viajávamos, éramos levados no banco de trás (quando não no vão traseiro do fusca) sempre sem cinto de segurança. Como pode a geração da cadeirinha anti-impacto ter alguma culpa por qualquer coisa? A geração que quer abolir a palmada através de uma lei? A geração que, por padrão, coloca uma televisão no quarto dos filhos? Somos disparadamente os melhores pais do mundo. Somos legais, gente. Pode acreditar.

E agora larga o celular que a criança está chamando.