Uma mãe de sorte!

Uma mãe de sorte!

 

Vocês sabiam que desde 2005 o dia 18 de junho é conhecido como o Dia do Orgulho Autista? A data, criada por pais de pessoas diagnosticadas com o “Transtorno do Espectro Autista”, quer demonstrar a satisfação pessoal com a melhoria da qualidade de vida dessas famílias e celebra a felicidade em ter orgulho de ter alguém com autismo próximo que é amado e recebe todo o apoio.E nada melhor para demostrar esse orgulho, do que o depoimento de uma mãe, que há poucos dias teve a filha diagnosticada com autismo e resolveu criar um blog para dividir, além de seu dia a dia de mãe e profissional, seus medos, anseios e descobertas dessa nova realidade para a família.

Meu nome é Paloma Fantini, tenho 31 anos, sou formada em Artes, trabalho como fotógrafa e sou mãe de 3 lindas meninas ( Isabel de 6 anos, Nathalia de 2 e Liana de 1 mês) .  Comecei na fotografia porque queria registrar minha filha com meu olhar e segui distribuindo meu olhar mundo afora.
11420084_1010466235639407_514723715_n
Tudo estava na normalidade, quando em fevereiro deste ano uma notícia abalou nossa família e nos mudou definitivamente…  No final do ano passado, eu e meu marido, havíamos levados certos questionamentos sobre a personalidade da Nathalia à pediatra, sobre ela ser meio brava com estranhos, falar pouco e a não responder quando chamada pelo nome e a médica nos aconselhou levá-la a um especialista. Marcamos com o especilista em Desenvolvimento Humano, Doutor Ricardo Halpern. No final da consulta ele nos deu o temido diagnóstico de Autismo. Foi um dos piores dias da minha vida. Ter esta notícia no primeiro momento me deixou em extrema escuridão, nesta escuridão tinha o medo, angústia, incertezas… todas gritando dentro de mim. Tinha medo do hoje, do amanhã… tinha medo que ela sofresse diariamente por causa disso, que vivesse angustiada e que ela fosse ser incapaz de obter grandes conquistas. Mesmo o médico sendo claro, dizendo que o nível de Autismo da Nathalia era super leve, para nós esta situação era de extrema gravidade.
11638005_1010465992306098_896956914_n
Tudo isso foi um turbilhão de emoção… mais ainda porque estava em plenos 5 meses de gestação, então imagine como estavam as minhas emoções?
Viví o luto da notícia, chorei por 3 dias…  nestes 3 dias não trabalhei e fiquei focada em dar amor a minha filha. Na minha cabeça de certa forma eu havia sido negligente em não ter percebido os sinais de que ela era diferente. Nestes 3 dias absorvi isso, percebi que não havia sido negligente pois para mim não havia problema nenhum ela ser diferente…
Afinal, quem quer ser igual?? Você?? Eu, com certeza quero ser diferente 🙂
Nathalia sempre me olhou nos olhos da forma mais intensa possível, ela realmente enxerga minha alma e muitas vezes nós conversamos pelo olhar. Ela não precisa falar para se comunicar comigo.
Graças a Deus somos uma família muito unida e isso nos fortificou ainda mais. Meu marido foi uma fortaleça, com certeza foi nosso ponto de equilíbrio , porque não sei como seria se ele tivesse se desestabilizado também… ele foi meu clarão. Junto buscamos conhecer mais sobre o que estávamos lidando e aos poucos saí da escuridão e comecei a ver a forma toda da situação. Pelo conhecimento nos livramos dos preconceitos, dos rótulos e da intolerância.  Ser autista não a faz sofrer. Ela vê o mundo de uma forma mais pura e diferente. Tento o máximo possível não pensar no futuro, vivemos com ela o presente e nos vangloriamos com cada conquista nova! Cada evolução!! E com isso chego a conclusão que a vida da Nathalia será cheia de conquistas e em todas elas eu quero estar ao seu lado.  Pois é isso que todo filho espera de seus pais, pois todos filhos são especias e todos precisam de cuidados especiais. Sendo ele Autista ou não.
11350046_1010466868972677_785528988_n
Decidi criar meu blog pois percebi que ser mãe é meu destino e minha missão. Sendo mãe de 3 todos os dias tenho desafios novos e dúvidas novas e acho que isso pode ser compartilhado tanto para ajudar quanto para ser ajudada. Ficarei feliz em conhecer outras mães na mesma situação – ou não, para dividirmos nossos sentimentos. Com certeza, assunto não irá faltar.
Beijos Paloma Fantini… Uma mãe de sorte!!!